A agência de classificação de risco de crédito Standard & Poor’s cortou as notas de quatro bancos italianos – um efeito da recente decisão da S&P de rebaixar o rating soberano da Itália. Por meio de nota divulgada hoje, a S&P informou ter rebaixado o rating de crédito de longo prazo dos bancos Intesa Sanpaolo SpA e Mediobanca SpA de A+ para A, de forma a colocar as notas das instituições financeiras em linha com as do país.

Na segunda-feira, a S&P rebaixou o rating soberano da Itália também de A+ para A. Segundo a agência de classificação de risco de crédito, a paralisia política da coalizão de governo do primeiro-ministro Silvio Berlusconi tornou-se um obstáculo para a recuperação da economia do país.

A agência também rebaixou o rating de duas subsidiárias italianas do banco francês BNP Paribas, que detinha 20,8 bilhões de euros em títulos da dívida italiana em 30 de junho: a Findomestic Banca teve sua nota cortada de A+ para A e a Banca Nazionale del Lavoro teve as notas de longo e curto prazo rebaixadas de AA-/A-1+ para A+/A-1.

A S&P também colocou os quatro bancos rebaixados e outras 11 instituições financeiras, entre elas a UniCredit SpA, em perspectiva negativa, o que abre a possibilidade de novos rebaixamentos no futuro.

Analistas observaram que os rebaixamentos eram inevitáveis, uma vez que o crédito corporativo, por convenção, não recebe nota superior ao rating soberano de um país. As informações são da Dow Jones.