O superávit comercial da zona do euro subiu para 22,7 bilhões de euros em novembro, de 19,9 bilhões de euros em outubro, com alta de 3,3% nas exportações e um aumento de 1,8% nas importações, na série ajustada, apontando para uma recuperação do crescimento econômico no final de um ano decepcionante para a região.

A agência de estatísticas da União Europeia (Eurostat) disse nesta segunda-feira que, no resultado cheio, as exportações da zona do euro ultrapassaram as importações em 25,9 bilhões de euros (US$ 27,6 bilhões) em novembro, ante 22,9 bilhões no mesmo mês de 2015.

A recuperação das exportações é consistente com outras indicações de que o crescimento econômico acelerou no quarto trimestre em comparação com os três meses até setembro, incluindo os números da produção industrial emitidos na semana passada e pesquisas de negócios que apontam para um renascimento no setor manufatureiro.

A recuperação das exportações ocorreu apesar do fortalecimento do euro frente à libra esterlina que torna os produtos fabricados na zona do euro mais caros para os clientes do Reino Unido. No entanto, a libra enfraqueceu novamente nos últimos dias, o que ainda pode ter um impacto sobre as vendas da zona do euro para um dos seus maiores mercados no exterior.

Ainda assim, é provável que as exportações da zona do euro sejam impulsionadas nos próximos meses por um fortalecimento do dólar norte-americano na esteira da vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro nos EUA, bem como a antecipação de mais aumentos de juros pelo Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA) em 2017.

A economia da zona euro desacelerou nos três meses até junho, e cresceu ao mesmo ritmo fraco no terceiro trimestre. Uma recuperação no último trimestre significaria que a economia da zona do euro cresceu em torno do mesmo ritmo modesto em 2016, assim como em 2015. Fonte: Dow Jones Newswires.