A balança comercial poderá fechar o ano com um superávit de US$ 8 bilhões, ainda maior do que a mais recente previsão oficial do governo, de um resultado positivo de US$ 7 bilhões, feita no final de agosto. ?Acho possível chegar lá?, admitiu hoje (10) à Agência Estado o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Roberto Iglesias.

A projeção de US$ 8 bilhões coincide com a dos analistas de mercado, segundo pesquisa divulgada ontem (9) pelo Banco Central, mas ainda não é oficial. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mantém sua projeção de US$ 7 bilhões para o saldo comercial de 2002.

Apesar da cautela do MDIC, a balança comercial vem, sucessivamente, surpreendendo o governo. O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, cortou de US$ 17 bilhões para US$ 15 bilhões a estimativa de déficit nas transações brasileiras com o exterior, e atribuiu a melhora à balança comercial.

O déficit de US$ 17 bilhões leva em consideração um superávit nas transações comerciais de US$ 7 bilhões. A projeção mais otimista de US$ 15 bilhões, portanto, embute um saldo comercial ainda maior.