Rio  – A Fundação Centro de Estudos de Comércio Exterior (Funcex) projeta que o superávit da balança comercial poderá ultrapassar US$ 1,9 bilhão em setembro e superar os US$ 8 bilhões previstos para o acumulado deste ano. Segundo o boletim de comércio exterior de setembro, divulgado hoje pela entidade, as exportações brasileiras estão apresentando “forte recuperação” neste segundo semestre, após um primeiro semestre de montantes “anormalmente baixos”.

O aumento das vendas externas, de acordo com a Funcex, tem sido puxado pela expansão do volume exportado, e não dos preços, o que a instituição considera “um desempenho surpreendente” frente à conjuntura de baixo crescimento mundial e, especialmente, da crise argentina.

O boletim destacou também o “fácil alcance” da meta de US$ 7 bilhões de superávit este ano, sendo que já que em setembro o saldo acumulado em doze meses deverá alcançar montante superior aos US$ 8 bilhões projetados para o ano.

No que diz respeito à rentabilidade das exportações, o boletim revelou que o nível da taxa de câmbio real em relação ao dólar atingiu em agosto seu maior patamar (taxa média a R$3 11/US$) desde novembro de 1987. A taxa foi resultado da desvalorização acelerada da moeda brasileira em relação ao dólar que acumulou 34% entre abril e agosto. De acordo com o boletim, a “forte desvalorização” do câmbio real mais do que compensou a queda dos preços de exportação e o aumento dos custos internos nos últimos 12 meses, gerando um crescimento do índice de rentabilidade das exportações de 2,5% no período.