Lissicich, Della Seta e Benedetti:
investimento de US$ 1 bilhão.

São Paulo

– A Tim (Telecom Italia) anunciou ontem sua oferta comercial completa de produtos e serviços GSM (Global System for Mobile Communication), que será lançada amanhã com a abertura de mil pontos de vendas em 94 cidades de oito estados brasileiros. Com a aquisição das licenças para o serviço GSM, a Tim passou a ser a única operadora de celular autorizada a operar em todo o território brasileiro. O investimento total no novo sistema chegará a U$ 1 bilhão, sendo R$ 1,9 bilhão só com as licenças compradas em março de 2001. A empresa pretende vender de 200 mil a 300 mil telefones GSM até o final do ano e conquistar 1,5 milhão de clientes da nova tecnologia em 2003, revelou o presidente da Tim Brasil, Marco de Lissicich.

Operando desde 98 no Brasil, a Tim é hoje o segundo maior grupo de telefonia móvel, com quase cinco milhões de clientes usando a tecnologia TDMA em 11 estados – através de três operadoras (Tim Sul, Tim Maxitel e Tim Nordeste). A cobertura de GSM crescerá gradualmente, com previsão de atingir todo o País no primeiro semestre de 2003. Para o lançamento do novo serviço, foram criadas três novas operadoras (Tim São Paulo, Tim Centro Sul e Tim Rio Norte) e a holding Tim Brasil S.A., coordenadora estratégica das empresas de telefonia celular do grupo no País.

No dia 22 de setembro, a Tim lançou uma oferta comercial básica do serviço GSM nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Em 5 de outubro, o serviço foi disponibilizado em Porto Alegre e Belém. “A América do Sul é a área mais importante da nossa expansão e o Brasil é o segundo mercado mais importante para nós, atrás do mercado doméstico italiano”, ressaltou Marco de Benedetti, presidente mundial do grupo Tim. “A agência reguladora brasileira (Anatel) prevê que o número de celulares deverá quase dobrar até 2005, ultrapassando os 50 milhões de assinantes”, citou Giorgio della Seta, presidente da Telecom Italia América Latina.

Tecnologia

No mundo, 71% dos celulares digitais – cerca de 750 milhões de aparelhos – funcionam com GSM. O TDMA representa apenas 10% do total. Entre as vantagens do novo sistema, o presidente da Tim Brasil destacou a economia de escala. O celular GSM possui um chip removível, permitindo o uso das informações em qualquer aparelho. O aparelho não é clonável e à prova de grampo, incorpora melhor qualidade de som e alta velocidade na transmissão de dados. O custo é inferior ao dos aparelhos TDMA, porém a Tim não divulgou valores. O chip avulso custa R$ 35 (pós-pago) e R$ 45 (pré-pago). Tanto no modelo pré quanto no pós-pago, o usuário pagará as tarifas locais em roaming nacional. O novo sistema permite roaming internacional com 173 países. A empresa preparou duas promoções de lançamento: bônus de R$ 90 a R$ 360 para usar em um ano e ligações gratuitas para um número celular Tim local previamente escolhido, até 31 de dezembro de 2003. Em novembro, serão divulgados os planos para o mercado corporativo.

Na implantação do GSM, a Tim gerou 1.960 empregos, construiu 1.952 ERBs (estações rádio-base), montou dois call-centers (no Rio de Janeiro e São Paulo) e cadastrou 30.500 pontos de recarga.

Mercado

Para o presidente mundial da Tim, o resultado das eleições presidenciais não vai mudar os planos de investimento do grupo no País. “Nossa confiança no País é completa, nosso compromisso com o Brasil não tem nada a ver com as eleições nem com a situação argentina”, declarou, ressaltando que o grupo espera recuperar o investimento no GSM dentro de dois a três anos. (O repórter viajou a convite da Tim.)

Tecnologia chega ao Paraná só no ano que vem

Olavo Pesch

No Paraná, a operação comercial com a tecnologia GSM só começa em 2003. Não há uma data definida, mas será ainda no primeiro semestre. “Já temos equipamentos funcionando com GSM em caráter experimental, mas ainda estamos discutindo os investimentos adicionais”, informa o presidente da Tim Sul, Álvaro Moraes Filho. Segundo ele a transição do TDMA para o GSM precisa ser bem planejada, principalmente porque no primeiro momento a cobertura do GSM será menor. “Ainda estamos expandindo o TDMA neste ano, investindo na cobertura de estradas de Santa Catarina e Paraná e chegando a 250 cidades, cobrindo quase 80% da população da nossa área de atuação”, salienta.

Investimentos

A Tim Sul – que abrange Paraná, Santa Catarina e Pelotas (RS) – tem quase 1,7 milhão de clientes (55% no Paraná) e investiu nesse ano R$ 100 milhões em TDMA, somados a mais R$ 200 milhões em 2001. A operadora detém 65% de market share na região e registrou, no primeiro semestre de 2002, receita em torno de R$ 600 milhões e lucro líquido de R$ 29,9 milhões.

Nicho de mercado

De acordo com Moraes, o lançamento do novo serviço visará atender nichos de mercado, como viagens, transmissão de dados e público jovem. “Hoje para uma transmissão de dados, é preciso fazer uma chamada telefônica. Com o sistema GRPS (disponível através do GSM), não precisa”, exemplifica. Para o início das operações com GSM no Paraná, falta a instalação de equipamentos nas 810 ERBs.