O consumo de energia elétrica no Brasil deve crescer 73% nos próximos dez anos, atingindo 673,1 terawatt/h em 2016, ante os 388,3 TW/h registrados no ano passado. A projeção consta do Plano Decenal 2006-2016 do setor elétrico elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) aprovado pelo governo na semana passada.

Nesse cenário, a economia brasileira deve registrar avanço médio de 4,9% nos próximos dez anos (PIB) e o consumo médio, cerca de 5,5% ao ano. Num outro cenário, de expansão menor, o PIB deve aumentar 4,2% ao ano, em média, e o consumo de energia, aproximadamente 5% ao ano. Nesse caso, o consumo atingirá 636,6 TW/h em 2016, com elevação de 63,9% em relação ao observado em 2006. Um terawatt (TW) de potência equivale a 10 watts elevado a 12 – o que chega à casa do trilhão de watts.

Para atender a essa demanda, o Brasil terá de agregar entre 4.500 a 5.000 MW de potência a cada ano, pelas contas do presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim. Com isso, o parque instalado brasileiro atingirá 143 86 GW de potência em 2016, ante os 92,4 GW no final de 2006. No cenário de menor crescimento, o parque instalado atingirá 137,5 GW/h, pelas projeções do Plano Decenal. Em valores, Tolmasquim estima investimentos de R$ 133,3 bilhões na geração e outros R$ 33,9 bilhões em novas linhas de transmissão, totalizando R$ 167 bilhões nos próximos dez anos.