O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, declarou hoje que a economia brasileira deve se acelerar a partir do segundo semestre deste ano. “Hoje, já percebemos um ritmo de atividade maior no segundo trimestre do que no primeiro trimestre”, exemplificou.

O presidente do BC participa de audiência pública na Comissão Mista de Orçamento da Câmara dos Deputados. Tombini argumentou que um maior crescimento a partir de julho será possível por conta dos bons fundamentos da economia brasileira.

O presidente do BC disse ainda que a turbulência na economia internacional, gera um cenário desinflacionário sobre as commodities, o que ajuda a controlar a alta de preços no mercado interno. Além disso, destacou que o dólar ficou cerca de 6% mais caro em relação ao real em maio, movimento considerado “moderado” por ele se comparado ao que ocorreu em outros países.

Inadimplência

O presidente do BC afirmou ainda que o spread (diferença entre a taxa de captação paga pelos bancos para obter recursos e a cobrado dos consumidores e empresas) teve uma “pequena redução” no mês passado. Tombini atribuiu a redução à queda nos juros básicos da economia (taxa Selic) desde agosto do ano passado.