A reabertura da emissão de bônus da República com vencimento em 2028, o papel mais longo da curva da dívida externa brasileira em reais, é a terceira feita desde a sua emissão, em fevereiro deste ano, quando foram colocados R$ 1,5 bilhão desses papéis. Se o Tesouro Nacional colocar os R$ 750 milhões previstos na reabertura divulgada hoje, segundo a nota que circulou no mercado, a soma desses papéis no mercado atingirá R$ 3,787 bilhões.

Na primeira reabertura, em março deste ano, o Tesouro emitiu mais R$ 750 milhões de títulos; na segunda, feita em maio, foram colocados mais R$ 787,50 milhões desses papéis, de acordo com os dados do site do Tesouro na internet.

O Tesouro informou que concedeu mandato para uma nova – a terceira – reabertura da emissão, prevendo a colocação de mais R$ 750 milhões desses papéis no mercado – e mais R$ 50 milhões caso haja demanda na Ásia.