O número de trabalhadores admitidos em 2004, com idade entre 40 e 49 anos, é 15,27% superior ao verificado há cinco anos. A informação é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Paraná (Caged). É a primeira vez, desde 1999, que o mercado detecta um salto na contratação desses profissionais. Segundo o Caged, este ano já foram contratados no Paraná mais de 79 mil trabalhadores na faixa 40-49 anos. Em 1999, o número chegou a 67,2 mil. Naquele ano, em todas as atividades (indústria, construção civil, comércio, serviços, agropecuária e outros) houve mais demissões que contratações. Cerca de 82,2 mil foram desligados, acarretando um saldo negativo de 15 mil trabalhadores.

Em 2004, todas as atividades estão registrando saldo positivo. O acumulado de vagas que permaneceram ocupadas até outubro era de 12,5 mil. "Os profissionais com idade entre 40 e 49 anos estão voltando a ser valorizados pelo mercado de trabalho", observa o delegado regional do Trabalho, Geraldo Serathiuk. Exemplo disso é a indústria, que vem se colocando como a primeira em contratações na faixa etária ao longo de 2004. O setor registrou 19,6 mil contratações e 15,2 mil demissões. O saldo positivo é de 4 mil profissionais. O comportamento é diferente do observado em 1999, quando foram empregados 14,7 mil pessoas e dispensadas 18,7 mil.

Outro exemplo é a construção civil, que contratou mais profissionais nessa faixa do que entre 25 a 29 anos. Nesse período foram admitidos 7 mil trabalhadores nessa faixa, enquanto o número de contratações entre 40 e 49 foi de mais de 9,6 mil.

O setor de serviços também apresentou aumento no número de profissionais com idade entre 40 e 49 anos, com um saldo positivo de 2.631 contratações. Há cinco anos, o saldo foi negativo: cerca de 5 mil profissionais dispensados.

Comércio e agropecuária, juntos, contrataram mais de 22,8 mil trabalhadores e dispensaram 18.090. Enquanto o primeiro fez 15.363 contratações e 13.323 desligamentos, o segundo contratou 7.447 e desligou 4.767. Ambos apresentaram saldo positivo: 2.040 vagas para o comércio e 2.680 para a agropecuária.

Em 1999, o saldo foi negativo para os dois setores. O comércio contratou 12.476 pessoas e desligou 14.050. A agropecuária admitiu 4.657 trabalhadores e dispensou 6.289. O saldo negativo, em cada atividade, foi de aproximadamente 1,6 mil vagas.