Das 5,6 milhões de pessoas com mais de 10 anos de idade ocupadas no Paraná, e avaliadas pela pesquisa da PNAD 2009, um total de 3,2 milhões são homens e 2,4 milhões são mulheres.

A análise indica que os homens continuam apresentando um rendimento global (de todos os trabalhos e fontes) superior ao das mulheres. Enquanto eles registraram renda média mensal de R$ 1.351 (sem o ajuste inflacionário), elas contaram com R$ 840 (também sem o ajuste inflacionário), uma diferença de R$ 511 (mais que o valor do salário mínimo nacional de R$ 510 atualmente).

Na composição dessa distância entre a média de rendimentos de homens e mulheres, dois tópicos contribuem de modo determinante para a disparidade: faixa de renda acima de 20 salários e os sem rendimentos.

No primeiro, das 40 mil pessoas enquadradas com renda média mensal superior a 20 salários, 35 mil são homens que, em média, ganhavam R$ 14.241,00 (sem o ajuste inflacionário). Já as cinco mil mulheres com esse patamar de renda, apresentavam uma média de R$ 11.954,00 (sem o ajuste inflacionário).

Entretanto, no grupo dos sem rendimentos, que somavam 459 mil pessoas, a situação inverte. As mulheres eram predominantes, com 288 mil nesta situação contra 171 mil homens.

Pela metodologia do PNAD, classifica-se como ocupado, mas sem rendimento, o indivíduo que trabalha sem remuneração, no mínimo uma hora por semana, como aprendiz, estagiário ou em ajuda a alguma instituição religiosa, beneficente ou de cooperativismo.