A demanda por viagens aéreas cresceu 2,7% globalmente em janeiro passado, em relação ao mesmo mês de 2012, informou a Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Já a oferta de assentos aumentou 2,2% em janeiro, na mesma comparação. Com isso, a taxa média de ocupação ficou em 77,1% naquele mês.

A grande procura por viagens aéreas motivada pelo Ano Novo Chinês causou distorções nos números de janeiro passado. Isso porque, enquanto em 2012 o feriado ocorreu em janeiro, neste ano ele caiu em fevereiro. A forte base de comparação fez com que a demanda de janeiro deste ano parecesse mais fraca do que na verdade o foi. Depois de um ajuste sazonal, a Iata reviu a estimativa de crescimento para 3,5% em janeiro. Entretanto, essa variação ainda é menor do que a média de crescimento de 2012, que foi de 5,3%.

“As viagens aéreas de passageiros estão crescendo em linha com os níveis de confiança nos negócios. Nos meses recentes, alguns sinais positivos na economia foram notados tanto na China como nos Estados Unidos, e a crise na zona do euro parece ter se estabilizado. Claro que os riscos ainda estão por aí: principalmente o impacto dos cortes do orçamento americano e os altos preços dos combustíveis. Mas, mesmo diante desses obstáculos, há espaço para um crescimento continuado e até mesmo sustentado”, disse o diretor geral e CEO da Iata, Tony Tyler, por meio de nota.

Brasil

De acordo com a Iata, a demanda por voos domésticos no Brasil caiu 3,7% em janeiro em comparação ao ano anterior. O crescimento da renda e a queda no desemprego poderiam ter dado um estímulo à demanda doméstica. No entanto, tudo foi comprometido pela alta menor do que o esperado do Produto Interno Bruto (PIB), altos custos e problemas de infraestrutura. Em resposta, as companhias aéreas cortaram a oferta de assentos em 9,1% em comparação a janeiro de 2012.

Viagens internacionais

Ainda segundo a Iata, os mercados internacionais se destacaram em relação à média da indústria global em janeiro, com uma alta na demanda por voos de 3,7%, contra um aumento na oferta de assentos de 2,7%. Desta forma, a taxa média de ocupação ficou em 77,6%.

Viagens domésticas

A demanda por viagens domésticas subiu 1,1% em janeiro último, ficando um pouco acima da alta de 1,4% na oferta de assentos. A média de ocupação foi de 76,4%. Entretanto, com ajustes sazonais, descontando principalmente os números chineses, ela registra um recorde de pouco mais de 80%.