O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Antonio Imbassahy (BA), protocolou nesta terça-feira, 15, requerimento junto ao Banco Central e ao Ministério da Fazenda pedindo explicações sobre o cálculo do resultado primário consolidado do governo. A solicitação foi encaminhada após reportagem do Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, revelando que as contas tiveram uma ajuda incomum de R$ 4 bilhões, o que reduziu o rombo do mês de maio.

Os requerimentos de informação são endereçados ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, e ao presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. O tucano afirma nos documentos que a gravidade da denúncia exige que Mantega e Tombini revelem os detalhes e a motivação da operação.

O volume de R$ 4 bilhões era mantido por um banco privado em uma conta que estava fora do radar do Banco Central e foi encontrado pela autoridade monetária às vésperas do anúncio oficial do resultado fiscal para o mês de maio. No início da noite, o Banco Central divulgou em seu site na internet uma nota de esclarecimento sobre os resultados fiscais relativos a maio.

Paraná Online no Facebook