Enquanto o País deve passar por uma leve queda de 0,37% no Valor Bruto da Produção (VBP) de suas 20 principais lavouras, este ano, o Paraná deve recuperar boa parte da perda do ano passado e aumentar o valor em 20,15%. De acordo com dados de junho, divulgados ontem pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a agricultura do Estado deve gerar, este ano, R$ 21,8 bilhões, contra R$ 18,1 bilhões no ano passado.

O total é o segundo maior do País, atrás apenas do Estado de São Paulo (R$ 25,9 bilhões). O VBP nacional deve ficar em R$ 160,75 bilhões, quase R$ 600 milhões menor que no ano passado, se considerado o valor final do ano e descontada a influência da inflação, no período. O valor gerado pela agricultura no Paraná, em 2010, não deve superar os R$ 22,8 bilhões obtidos em 2008.

A recuperação do indicador no Paraná, em relação ao ano passado, se deve especialmente à soja, que deve gerar cerca de R$ 9,6 bilhões ao Estado, este ano. O crescimento em relação a 2009, quando a produção totalizou R$ 7,16 bilhões, é de 34,57%. O valor deve superar, inclusive, o patamar de R$ 8,9 bilhões atingido na boa safra de 2008.

O segundo produto que mais deve gerar renda ao Estado é o milho, com R$ 3,27 bilhões. O aumento em relação ao ano passado, porém, é discreto: 1,9%. Já a cultura com o maior crescimento proporcional deve ser a da batata, que ficou 60% mais cara para o consumidor, em Curitiba, este ano. A produção deve passar de R$ 476,6 milhões, no ano passado, para R$ 758,4 milhões, este ano. A melhora é de 59,12%.

Por outro lado, o levantamento prevê quedas consideráveis em alguns produtos, como o algodão, a banana e a uva. Mas a mais importante é no feijão, que, a exemplo do que aconteceu em 2009, deve continuar caindo em relação ao ano anterior. A redução no valor produzido deve ser de 22,54%, ou quase R$ 270 milhões, passando de R$ 1,19 bilhão, no ano passado, para R$ 921 milhões, este ano.

Cana

O coordenador de Planejamento Estratégico do Mapa, José Gasques, destacou o café e a cana-de-açúcar como os principais responsáveis pela sustentação do valor da produção nacional. Ele lembrou que os produtos devem responder por 26,7% do valor total da produção. No café, o preço real melhorou 5,6% em relação a 2009. Na cana, o aumento foi de 9,4%.

No Paraná, ambos os produtos também devem passar por bons aumentos no valor produzido. Para o café, está previsto um avanço de 47% em relação ao ano passado, para um total de R$ 604,4 milhões. Na cana-de-açúcar, a previsão de aumento é de 5,29%, para R$ 1,87 bilhão. O valor é o terceiro maior entre os produtos paranaenses.