Foto: Arquivo

Grãos de verão estão no topo da lista.

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento finalizou o levantamento sobre o Valor Bruto da Produção (VBP) que atingiu R$ 25,72 bilhões em 2006. Essa foi a soma da produção e comercialização de todos os produtos de origem agrícola, pecuária e florestal que circularam no Paraná naquele ano. Para este ano, a projeção é alcançar um VBP acima de R$ 30 bilhões, se persistirem os atuais preços das commodities considerados bons, e clima favorável.

A pesquisa, realizada pelo Departamento de Economia Rural (Deral), com mais de 500 produtos, demonstra como está distribuída a riqueza nas regiões. Para as prefeituras e para o governo estadual, esse levantamento representa um indicativo dos rumos que o campo está tomando, o que facilita a adoção de políticas públicas, avaliou o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini.

O VBP de 2006 reflete a alteração do cenário rural que vem ocorrendo no Paraná a cada ano. Se em 2006 as adversidades climáticas prejudicaram a produção dos principais grãos cultivados no Estado como soja, milho, trigo e feijão, nos municípios com uma diversificada base de produção verificou-se melhor distribuição da renda, explicou Gilka Andretta, chefe da Divisão de Estatística e responsável pelo cálculo do valor.

Conforme o VBP de 2006, os municípios de Toledo, Castro, Cascavel e Francisco Beltrão foram os que mais arrecadaram, com um valor acima de R$ 300 milhões cada um. Outros sete municípios, como Dois Vizinhos, Guarapuava, Piraí do Sul, General Carneiro, Tibagi, Londrina e Inácio Martins estão no intervalo de R$ 200 a R$ 300 milhões. Na faixa de R$ 100 a R$ 200 milhões estão 56 municípios. Outros 108 municípios arrecadaram entre R$ 50 e R$ 100 milhões, enquanto que os demais municípios (56%) arrecadaram menos de R$ 50 milhões.

Em função das adversidades climáticas ocorridas, o VBP de 2006 foi 1,1% inferior em relação ao ano anterior. A queda só não foi maior porque outras atividades rurais contribuem para sustentar a economia e criam até riquezas maiores, informou Andretta. A diversificação pode ser comprovada na riqueza em vários municípios.

Apesar da queda na produção de grãos no Estado, os núcleos que se destacam na produção de commodities como Ponta Grossa, Cascavel, Toledo e Francisco Beltrão, lideram a arrecadação do VBP no Paraná. O núcleo da Secretaria da Agricultura que mais arrecadou em Valor Bruto da Produção foi o de Ponta Grossa, que atingiu R$ 2,67 bilhões, que representa 11% de toda a produção do Estado.

Os principais produtos dessa região são os grãos de verão, que representam 34% da arrecadação, seguidos dos produtos florestais, com 21% e da avicultura, com 10% da arrecadação. O VBP de Ponta Grossa de 2006 foi 6,7% menor em relação ao ano anterior, por causa da redução na produção dos grãos, causada pelas adversidades climáticas.

O VBP é enviado à Secretaria da Fazenda, e 8% de seu valor integra a composição do Índice do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que definirá o volume de arrecadação do ICMS que será repassado pelo Estado aos 399 municípios paranaenses em 2008.