A Varig entrega na segunda-feira o seu plano de recuperação para a 8.ª Vara Empresarial do Rio. O plano deve prever o alongamento do prazo de pagamento dos credores da companhia aérea. O principal credor privado é o fundo de pensão Aerus.

Com as estatais, as dívidas da Varig se concentram, principalmente, com a Infraero (estatal que administra os aeroportos), BR Distribuidora e Banco do Brasil. As pendências fiscais com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e Receita Federal não poderão ser incluídos no plano de recuperação judicial.

Antes da entrega desse plano, a FRB (Fundação Ruben Berta), que detém 87% da Varig, realiza uma assembléia amanhã para avaliar a proposta de venda de 95% da VarigLog (cargas) para o fundo norte-americano Matlin Patterson.

O fundo quer pagar US$ 38 milhões pela VarigLog, pois descontaria do valor de avaliação (US$ 100 milhões) o passivo de US$ 60 milhões e 5% que permanecerão com a Varig. O fundo também emprestaria US$ 65 milhões.

Às vésperas dessas agendas importantes, investidores internacionais decidiram aparecer e refazer suas propostas de compra da Varig. Alguns apresentaram as propostas formalmente para a 8.ª Vara Empresarial. Outros, como o grupo representado pelo corretor Jaime Toscano, se mantêm no anonimato. Esse último grupo procurou a Justiça, mas não formalizou a apresentação da proposta.