A Infraero enviou, no início da noite de quarta-feira, uma carta cobrança para a Varig. A companhia aérea tem até o dia 1.º de novembro para pagar antecipadamente as tarifas aeroportuárias referentes ao dia de operação. Caso contrário, será impedida de pousar e decolar nos terminais brasileiros. De acordo com a Infraero, estatal responsável pela administração dos aeroportos, a Varig possui uma dívida acumulada desde janeiro deste ano, referente ao não repasse das tarifas de operações aeroportuárias à estatal, que não mencionou valores.

A Infraero afirmou que a decisão é um procedimento de rotina, para estender a todas as companhias as cobranças da estatal, negando que o ultimato à Varig seja resultado de uma pressão da Vasp, que pede tratamento semelhante entre empresas devedoras.

Ontem, a Vasp efetuou, pelo segundo dia consecutivo, o pagamento de R$ 63 mil, valor referente às taxas de embarque e tarifas aeroportuárias para pousos e decolagens nos aeroportos brasileiros. A exigência da Infraero será válida enquanto a Vasp não quitar a dívida de R$ 11 milhões acumulada com a estatal nos últimos três meses.

Na quarta-feira, integrantes do Conselho Administrativo da companhia aérea estiveram em Brasília, para solicitar o parcelamento em até seis vezes da dívida com a estatal, proposta que foi rejeitada pela Infraero. O governo exige que a dívida seja quitada em até 90 dias. A assessoria de imprensa da Vasp confirmou que o presidente da companhia está pessoalmente envolvido nas negociações com o governo.

A Varig afirmou que pretende honrar com o pagamento diário das tarifas aeroportuárias assim que for oficialmente comunicada da decisão da Infraero. A Varig suspendeu o pagamento das tarifas aeroportuárias, alegando dificuldades financeiras, o que gerou o acúmulo de uma dívida de R$ 108 milhões, de janeiro a setembro deste ano.