O ministro das Finanças da Grécia, Yannis Varoufakis, afirmou acreditar que há “100% de chance de sucesso” na negociação com os credores do país. Questionado sobre a possibilidade de um acordo, diante das posições divergentes do governo de Atenas e de seus parceiros europeus, após o plebiscito no domingo, a autoridade mostrou-se otimista.

Varoufakis disse que as propostas “mais interessantes” foram entregues ao governo grego após o fechamento dos bancos do país e das notícias do “suposto impasse” entre a Grécia e seus credores. “Talvez as coisas tenham que ficar piores, antes de melhorar”, avaliou.

O ministro garantiu que os bancos gregos serão reabertos na terça-feira. Segundo ele, só é preciso que o Banco Central Europeu (BCE) dê “o sinal verde” para as autoridades, que fecharão um acordo. Segundo ele, se o “sim” às exigências dos credores ganhar, haverá “um acordo ruim” e ele já não será mais o ministro. Já se o “não” ganhar no plebiscito, Varoufakis disse que haverá um acordo “viável”, feito a partir das propostas feitas nos últimos dois dias.

Segundo Varoufakis, caso o “sim” às exigências dos credores vença, ele já não será o ministro das Finanças. Ele argumentou que deixará o cargo nesse caso porque não poderá “colocar minha assinatura em um acordo catastrófico”. (Gabriel Bueno da Costa)