O período de vazio sanitário da soja no Paraná – medida adotada pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento para reduzir os focos da ferrugem asiática, doença que provoca prejuízos econômicos às lavouras – termina no dia 15 de setembro. Até lá, o produtor deve manter a área sem nenhum tipo de plantio de soja ou restevas das plantas.

Para o plantio de soja da safra 2008/09, a Secretaria da Agricultura alerta o produtor para que atenda a recomendação da pesquisa para o período ideal, que no Paraná inicia a partir de 1.º de outubro na maioria dos municípios.

O secretário Valter Bianchini destaca a importância de seguir as medidas recomendadas pela pesquisa para que os grãos produzidos no Paraná possam atingir um bom nível de qualidade que se deseja para o Estado. “O vazio sanitário da soja dará boa base para que os produtores possam seguir também as recomendações do Manejo Integrado de Pragas (MIP), projeto que visa reduzir a aplicação de agrotóxicos nas lavouras.”

Segundo Bianchini, esse projeto já está na fase de treinamento dos técnicos em todo o Estado para que eles possam orientar os produtores para que deixem de fazer aplicações de agrotóxicos desnecessárias nas lavouras.

O Paraná adotou o vazio sanitário para o plantio de soja este ano pela primeira vez. Ele está em vigor desde 15 de junho quando foi recomendado que o agricultor destruísse quaisquer remanescentes de plantas de soja e suas restevas no campo. A iniciativa é uma medida sanitária que visa o controle da ferrugem asiática. Com a eliminação das plantas vivas, elimina-se também o hospedeiro da doença, explicou a engenheira agrônoma, Maria Celeste Marcondes, responsável pela área de Sanidade de Grandes Culturas.

Em dois meses de vigência, o Departamento de Fiscalização e Defesa Agropecuária (Defis) fez 23 autuações a produtores que ainda tinham plantas remanescentes em suas propriedades, num total de 1.352 hectares de área.

Fungicidas

De acordo com a Embrapa Soja, em Londrina, desde que os estados produtores de soja adotaram a medida de controle da ferrugem asiática por meio do vazio sanitário, a aplicação de fungicidas nas lavouras manteve-se numa média estável de duas aplicações por hectare. De acordo com os técnicos, o produtor deve fazer o monitoramento e acompanhar a incidência do fungo da doença na região. Esse acompanhamento ele pode fazer também via internet pelo site www.controleantiferrugem.com.br

O site criado pela Embrapa é alimentado por 99 laboratórios distribuídos nas regiões produtoras. Quando eles detectam a existência de fungos, automaticamente eles atualizam o site para que o produtor possa ficar sabendo da incidência do fungo naquela região para adotar as providências.

Desde que esse monitoramento começou a ser feito na safra 2005/06, o número de incidências cadastrados no site durante o período vegetativo caiu de 5% para 1,1% na safra 2007/08.