Depois de alcançar a máxima de R$ 4,24 no dia, o dólar despencou quase 4% e voltou a ficar abaixo dos R$ 4,00 ontem, 24, depois de intensas ações do Banco Central (BC), que aliviou em parte os temores dos mercados financeiros com a afirmação do presidente Alexandre Tombini de que a taxa de juros não iria aumentar e que o órgão não descarta o uso das suas reservas internacionais pra conter o câmbio.

O dólar recuou 3,73% e chegou a R$ 3,9914 na venda, maior queda diária desde 24 de novembro de 2008 (-5,24%). A moeda norte-americana subiu 2,48% na máxima da sessão, a 4,2491 reais, e recuou 3,98% na mínima, a R$ 3,9810.

Na semana e no mês, o dólar acumula alta de 0,84% e 10,04%, respectivamente. No ano, há valorização de 50,13%.