Balanço divulgado nesta segunda-feira, 7, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a entidade que representa as montadoras instaladas no País, mostra que as vendas de veículos tiveram queda de 17,2% no mês passado, se comparadas a outubro de 2015. Entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus, 159 mil veículos foram comercializados.

Ainda que tenha se mantido em ritmo baixo – inferior a 8 mil unidades -, a média de venda a cada dia que as concessionárias abriram as portas teve um leve crescimento de 4,4%. Apesar disso, como o mês passado teve um dia útil a menos, o resultado consolidado acabou sendo 0,6% inferior ao volume total registrado em setembro. Foi o pior outubro em vendas de veículos no País em onze anos.

No acumulado dos dez primeiros meses de 2016, as vendas, de 1,67 milhão de unidades – no pior número em uma década – tiveram queda de 22,3% no comparativo com igual período de 2015.

Por categoria, os emplacamentos de automóveis de passeio e utilitários leves, como picapes e vans, caíram 16,4% na comparação com outubro de 2015 e ficaram estagnados – variação zero – em relação a setembro. No total, 155 mil carros foram comercializados no mês passado.

Os licenciamentos de caminhões, que somaram 3,4 mil unidades em outubro, registraram queda de 40,4% se comparados ao mesmo período de 2015. Frente a setembro, a comercialização dos veículos pesados de carga recuou 17,9%.

O levantamento mostra ainda que as vendas de ônibus somaram 584 unidades no mês passado, um declínio de 34% na comparação anual. Em relação a setembro, as vendas de coletivos caíram 16,7%.

Exportações

O faturamento das montadoras com exportações subiu 9,8% em outubro, na comparação com igual período de 2015, chegando a US$ 955,3 milhões.

Em relação a setembro, houve queda de 3,9% no montante obtido pelo setor com embarques ao exterior, de acordo com levantamento da Anfavea, a associação que abriga os fabricantes de veículos instalados no país.

O resultado leva para US$ 8,65 bilhões, queda de 1,9% no comparativo interanual, o total faturado desde o início do ano. Além de veículos, o balanço inclui as exportações de autopeças feitas pelas montadoras, assim como as vendas externas das fábricas de máquinas agrícolas, também associadas à Anfavea.

No mês passado, 36,9 mil veículos saíram do Brasil com destino a mercados do exterior, uma queda de 7,5% na comparação anual.

Em relação a setembro, o recuo foi de 6,5%. No acumulado de janeiro a outubro, as montadoras exportaram 400,6 mil veículos, o que corresponde a um crescimento de 19,7%.

A maior entrada de carros brasileiros em mercados vizinhos, sobretudo na Argentina, mais o crescimento das exportações ao México e a estratégia de diversificar negócios com novos destinos internacionais, explica o desempenho.