As vendas industriais do Paraná cresceram 2,3% no mês e acumulam alta de 11,84% nos dez primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2007. A informação é do Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

O índice, no entanto, ficou abaixo do verificado nos dois últimos anos (9,21% e 5,3% respectivamente), evidenciando um sinal de desaceleração da economia local.

Dos 18 gêneros industriais pesquisados, metade apresentou crescimento, metade diminuição nas vendas. Os gêneros que tiveram maior alta no mês são: Edição e Impressão (145,11%), Madeira (16,33%) e Vestuário (15,73%).

De outro lado, as maiores baixas se deram em Couros e Calçados (-17,01%), Minerais Não-metálicos (-14,62%) e Metalúrgica Básica (-10,47%). Dos três gêneros de maior participação relativa na indústria paranaense, dois apresentaram aumentos: Alimentos e Bebidas (6,20%) e Refino de Petróleo e Produção de Álcool (2,67%). O gênero “Veículos Automotores”, por sua vez, decresceu (-8,16%).

Crise Na avaliação do coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Maurílio Schmitt, os impactos da crise financeira internacional se refletiram, em outubro, principalmente nos gêneros de Veículos Automotores e Máquinas e Equipamentos.

“A crise bateu na oferta de crédito, que beneficiavas diretamente os dois gêneros. Como as decisões de compra e de investimento de bens com maior valor específico devem ficar comprometidas, o poder da inércia ainda fará o giro de alguns negócios por mais um período adiante”, afirma.

De acordo com Schmitt, o crescimento das vendas industriais no ano está diretamente ligado ao desempenho da agroindústria paranaense. “A expressiva safra 2007/2008 e a ausência de restrições do passado impostas pelos mercados destinatários permitiram que a indústria de Produtos Alimentícios e Bebidas aumentasse suas vendas nestes primeiros dez meses do ano em relação ao mesmo período de 2006 em 11,70%”, diz o economista.

Colaboram para o crescimento no ano também os gêneros de Petróleo e Produção de Álcool (alta de 12,29% no período) e Fabricação e Montagem de Veículos Automotores (19,81%).

Emprego e renda

O emprego diretamente ligado à produção cresceu 1,07% em outubro. No ano, o nível de emprego na indústria do Paraná registrou um aumento de 5,65% no “pessoal empregado total” e de 6,53% no “pessoal empregado na produção”.

A massa salarial líquida também apresentou aumento em outubro, de 3,15%. A utilização da capacidade instalada da indústria também aumentou, situando-se em 83% e igualando o recorde de toda a série histórica pesquisada pela Fiep, registrada em agosto de 2004.