A redução dos despachos das usinas termelétricas levou o País a registrar um recuo de 7,2% nas vendas de gás em dezembro passado, na comparação com igual mês do ano anterior, para 48,6 milhões de metros cúbicos diários, apesar da forte expansão do consumo nos segmentos residencial, comercial e industrial.

Levantamento feito pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) indicou que o consumo das térmicas teve uma redução de 32%, o equivalente a 4,8 milhões de metros cúbicos diários, tendo em vista que o alto nível dos reservatório das hidrelétricas tornou desnecessária boa parte da geração termelétrica.

O consumo das residências, no entanto, segue em expansão e atingiu em dezembro 870,7 mil metros cúbicos diários, o que representa uma alta de 13,22%, quando comparado o mês de dezembro de 2011 com o mesmo mês de 2010. Já o comércio consumiu 16,48% mais gás, totalizando 760,4 mil metros cúbicos diários. As indústrias – responsáveis por 55,81% da demanda brasileira de gás natural – apresentaram um crescimento de 5,64%, para 27,134 milhões de metros cúbicos diários. A Abegás também destacou Outra boa notícia foi a retomada do consumo de gás natural veicular (GNV), que cresceu 1,01% de um ano para o outro.

Na comparação com novembro, houve uma diminuição de 3,07% no consumo de gás natural pela retração da demanda industrial em razão da sazonalidade do período. Porém, na mesma comparação, houve um crescimento do consumo de gás natural nos segmentos automotivo (5,26%) e comercial (17,21%).

Em termos regionais, a região Sudeste continua sendo a região que mais consome gás natural no País, com 31,3 milhões de metros cúbicos consumidos por dia em dezembro. Na sequência, estão as regiões Nordeste, com 10,2 milhões metros cúbicos diários, e Sul, com 4,4 milhões. Já as Regiões Norte e Centro-Oeste consumiram, respectivamente, 2,2 milhões metros cúbicos diários e 267,9 mil.