As vendas no varejo da cidade de São Paulo tiveram alta de 2,1% na primeira quinzena de novembro em relação a igual período do ano passado, informou nesta quarta-feira, 16, a Associação Comercial de São Paulo (ACSP). É a primeira vez em 2016 que a pesquisa registra aumento.

Na avaliação da ACSP, no entanto, o crescimento não é reflexo de um início de recuperação, mas de dois outros fatores. O primeiro é que a base de comparação é muito baixa. O segundo diz respeito ao calendário, uma vez que a primeira quinzena de novembro deste ano teve um dia útil a mais do que a primeira quinzena de novembro do ano passado.

“É um bom resultado, mas circunstancial. Não podemos projetá-lo para o fim do mês nem para o fechamento do ano. Ainda há incertezas no cenário macroeconômico. Só a recuperação do emprego, da renda e da confiança pode, de fato, alterar os nossos indicadores econômicos”, comenta Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

O avanço foi puxado principalmente pelas vendas a prazo, que subiram 4,6% na mesma comparação. Já as transações à vista tiveram queda de 0,5%.

Em relação à primeira quinzena de outubro, as vendas na cidade caíram 5,2%, com recuos de 1,6% a prazo e de 8,7% à vista. O resultado, segundo a ACSP, também se explica pela sazonalidade, visto que outubro contou com o Dia das Crianças, o que deu fôlego ao comércio.