Aliocha Maurício
Aliocha Maurício

Em outubro, o comércio varejista paranaense apresentou alta de 2,5% no volume de vendas.

As vendas do comércio varejista no Paraná cresceram 8,5% em novembro de 2007 na comparação com o mesmo mês do ano anterior, aponta a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada nesta quarta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As principais variações positivas foram em São Paulo, com taxa de 14,1%; Mato Grosso do Sul (12,5%), Rio Grande do Norte (11,9%), Mato Grosso (11,9%) e Maranhão (11,7%). Quanto às maiores participações na escala nacional, o Paraná foi um dos destaques ao alcançar a quinta posição. Pela ordem: São Paulo (14,1%), Rio Grande do Sul (10,2%), Rio de Janeiro (5,4%), Minas Gerais (7,1%) e Paraná (8,5%). O Brasil fechou com crescimento de 9,9%.

Na análise do mês de novembro em relação a outubro, o comércio varejista paranaense apresentou alta de 2,5% no volume de vendas. Com isso, o Paraná acumulou crescimento de 7,2% entre janeiro e novembro de 2007 e de 6,7% nos últimos 12 meses. A taxa nacional é de 9,7% no ano e de 9,2% em 12 meses.

Segundo o secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, setores estratégicos da indústria explicam a razão do crescimento da economia paranaense. ?As vendas de automóveis, motocicletas e peças aumentaram 31,9% em novembro, e o setor da construção civil, com a venda de materiais básicos, cresceu 24,1%?.

Setores

Além de veículos e materiais de construção, os destaque para os resultados de setembro no Paraná ficaram com os setores de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (32,9%), livros, jornais, revistas e papelaria (23,1%), móveis e eletrodomésticos (22,2%), produtos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (14,3%), tecidos, vestuário e calçados (11,3%), artigos de uso pessoal e doméstico (8,6%), hipermercados e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumos (7%). O setor de combustíveis e lubrificantes apresentou queda (-8,9%).

Ainda segundo o IBGE, a receita nominal das vendas no Estado cresceu 10,3% entre o mês de novembro de 2007 e o mesmo período do ano anterior. No acumulado ano, o Paraná registrou acréscimo de 9% e fechou os últimos 12 meses com uma variação de 8,5%.

Em relação ao varejo ampliado, as maiores taxas de desempenho no volume de vendas ocorreram em Santa Catarina (20,4%), Espírito Santo (19,3%), Mato Grosso do Sul (18,2%), Paraná (17,4%) e Goiás (16,9%).

Em termos de impacto no resultado global do setor, o Paraná também esteve entre os melhores desempenhos: São Paulo (15,1%), Rio Grande do Sul (16,8%), Minas Gerais (12,7%), Paraná (17,4%) e Rio de Janeiro (9%). O índice do País ficou em 13,9%.

Já a receita nominal de vendas no comércio varejista ampliado subiu 20% em novembro no Paraná, na comparação com o mesmo mês de 2006. No Brasil a taxa foi de 17%. Desde janeiro, o Paraná soma alta de 16,1% e, na série de 12 meses, o Paraná teve crescimento de 15,3%, acima da média nacional de 14,2%.