A presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Paiva Vieira, informou há pouco que, nos meses de abril e maio, houve um aumento de 19% nos pousos e decolagens no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, na comparação com o mesmo bimestre de 2008. Segundo ela, isso foi reflexo da decisão da Agência de reabrir o aeroporto para os voos domésticos – e não apenas a ponte aérea. A decisão não retirou passageiros do Aeroporto Galeão, como o governo do Estado do Rio de Janeiro chegou a cogitar.

Ainda de acordo com Solange, neste mesmo período de comparação o Galeão teve aumento de 4% nos voos. “Isso também trouxe um maior número de passageiros para o Estado do Rio de Janeiro”, disse a presidente da Anac, durante audiência pública da Comissão de Infraestrutura do Senado.

Segundo Solange, a agência está estudando os reflexos, no Brasil, de uma “política de céus abertos”. Ela explicou que, nesse tipo de política, praticada hoje pelos Estados Unidos com a Europa, há liberdade em ambos os lados quanto ao número de voos, que podem ser operados pelas respectivas companhias aéreas. Segundo ela, a decisão se o Brasil vai adotar a política depende do governo. “Cabe à Anac apenas elaborar estudos, porque essa tem que ser uma decisão de governo”, afirmou Solange.