A Ecovia Caminho do Mar adiou mais uma vez o início da cobrança do reajuste de de 31% nas tarifas do pedágio, que estava prevista para amanhã na praça localizada na BR-277, trecho entre Curitiba e Paranaguá. Em nota oficial divulgada no início da noite, a empresa justificou que vai esperar a 9ª Vara da Justiça Federal de Curitiba comunicar formalmente ao DER (Departamento Estadual de Estradas e Rodagem) o teor do despacho do juiz federal em exercício, Paulo Cristóvão de Araújo Silva Filho, que na sexta-feira, autorizou a aplicação do reajuste. O juiz apreciou ação ajuizada pela Ecovia para garantir a aplicação do aumento. Ontem, a empresa solicitou à 9ª Vara que proceda à notificação do governo.

Na nota, a empresa explicou que decidiu suspender a aplicação do aumento devido à ocupação da praça do pedágio na madrugada de ontem pela Polícia Militar. A Ecovia havia anunciado que começaria a cobrar os novos valores a partir de ontem e o governo, para impedir a cobrança, mandou a PM para a praça do pedágio. A Ecovia informou que irá esperar pela manifestação da Justiça para aplicação das novas tarifas para não colocar em risco a segurança dos seus funcionários da praça e também dos usuários da rodovia. “Enquanto não houver esta manifestação, as tarifas atuais serão mantidas”, diz a nota. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)