Na solenidade de comemoração dos 30 anos da Embrapa Soja, realizada hoje (20) em Londrina (PR), estiveram presentes cerca de 300 autoridades, lideranças vinculadas ao agronegócio e parceiros. A chefe-geral da Embrapa Soja, Vania Castiglioni ap roveitou a ocasião para fazer homenagens e lançar 22 variedades: 13 cultivares de soja transgênica para todo o Brasil, 7 cultivares convencionais e 2 de trigo para o Paraná.

Com relação à soja transgênica, na safra 2004/2005 a multiplicação das sementes da Embrapa foi realizada por 250 produtores de sementes de oito fundações de apoio à pesquisa de todas as regiões produtoras de soja. "A Embrapa e seus parceiros produziram semente em 26,8 mil hectares, resultando em 670 mil sacas, que serão multiplicadas novamente na safra 2005/06, antes de chegarem, em grande escala, às mãos dos agricultores brasileiros", explica o gerente de propriedade intelectual da Embrapa, Filipe Teixeira.

A Embrapa desenvolve pesquisa com transgênicos desde 1996, quando a instituição – em parceria com a iniciativa privada – passou a incorporar às suas cultivares de soja genes que são tolerantes a herbicidas. Desde então, a Embrapa firmou um contrato de pesquisa com a empresa Monsanto que permitiu o acesso ao gene que confere resistência à planta de soja ao herbicida Roundup Ready (RR), cujo princípio ativo é o glifosato.

Em 2000, a instituição assinou outro contrato permitindo a exploração comercial do gene inserido nos materiais genéticos da Embrapa. Assim, a Embrapa introduziu o gene RR ao seu Banco de Germoplasma, que apresenta plantas de soja com alta capacidade de adaptação, boa qualidade de sementes, resistência às principais doenças de soja e ainda alto potencial de rendimento. "O desenvolvimento de soja transgênica é uma pesquisa paralela da Embrapa Soja, mas continuaremos buscando soluções para os problemas limitadores da cultura da soja convencional", avalia João Flávio Veloso Silva, chefe de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Soja.