Empreender - Tribuna Curitiba recebeu no ultimo final de semana aquele que foi considerado o maior Hackathon do país. Cerca de 200 jovens vindos de vários Estados ficaram acampados por 36 horas em 140 barracas no ExpoTrade, em Pinhais, na Região Metropolitana. O Hackathon SENDI 2016 reuniu programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de software para uma maratona de programação, cujo objetivo foi desenvolver um software que atenda a um fim específico ou projetos livres que sejam inovadores e utilizáveis. Em Curitiba, a maratona foi voltada para o setor de energia elétrica e teve a participação e apoio de várias empresas do setor.

Equipes foram montadas por cores (Foto: Raquel Tannuri Santana).
Equipes foram montadas por cores (Foto: Raquel Tannuri Santana).

Para que os estudantes ficassem acampados com qualidade de vida e conforto para enfrentar a longa jornada, Angela Maria Catapan, da comissao organizadora, conta que foi preparada uma infra-estrutura que incluía alimentaçao disponível 24 horas, com muita água, frutas, café e energético. “Os estudantes inscritos também tiveram almoço, jantar e lanches, além de enfermaria, segurança e muita diversão, pois ninguém é de ferro”, lembrou.

Angela ressalta que a vantagem de tantas pessoas poderem participar desse tipo de evento é que os participantes têm a oportunidade de concorrer a prêmios, conhecer outros profissionais da área, fazer networking, participar de um projeto colaborativo em um ambiente específico de programação, tudo reunido num mesmo lugar. Para participar da maratona, os alunos se reuniram em grupos, cada um com uma missão específica. “Montaram o equivalente a uma startup, com responsáveis pelo desenvolvimento técnico e comercial das soluções encontradas”, especificou. Para tanto, 150 mentores foram convocados a participarem do desafio.

“O maior objetivo de um evento desse porte é trazer a academia para dentro do setor de energia”, destacou Antonio Guether, presidente da Copel Distribuição. De acordo com ele, o objetivo é aproximar as universidades das distribuidoras para incentivar a criação de startups. “Quanto mais perto dos problemas, mais rápidas são as soluções”, observou.

Premiação

Quando o cansaço batia, sempre tinha um cantinho pra descansar (Foto: Raquel Tannuri Santana).
Quando o cansaço batia, sempre tinha um cantinho pra descansar (Foto: Raquel Tannuri Santana).

A maratona começou na noite de sexta-feira. Paulo Bubiniak, um dos mentores, conta que os estudantes vararam a noite trabalhando, e quando o cansaço batia, eles se revezavam. A turma se manteve acesa a base de muito energético, já que mil latas do produto foram consumidas. Na noite de sábado para domingo rolou show de rock. No domingo, último dia de evento, o cansaço era visível. Mas se eles se cansaram, em compensação saíram satisfeitos com a participação. “Foi muito bom. Assim que chegamos já formamos o grupo e ficamos amigos. Vou sair daqui levando uma baita experiência˜, disse Alexander Henrique, um dos alunos participantes.

Os projetos concluídos foram selecionados por uma comissão julgadora, levando-se em conta a criatividade, originalidade, utilidade prática e possibilidade de implementação. Os dois melhores trabalhos de cada desafio foram selecionados como finalistas e passaram para a segunda fase que escolheu as oito melhores. A equipe campeã ganhou, entre outros prêmios, uma viagem à Itália com visita técnica ao centro de inovação da Seco Tools e ao pólo tecnológico do Cubit, um laboratório da Universidade de Pisa especializado em tecnologia wireless aplicada à internet das coisas, premiação oferecida pela Universidade Positivo aos cinco integrantes da equipe vencedora do Hackathon SENDI 2016.

Em primeiro lugar venceu a equipe Presságio, que propôs a instalação de um conjunto de sensores que, caso caia a energia, a central é avisada. Em segundo ficou a equipe 25 Systemns, que propôs um sistema de monitoramento de radiofrequência que evita gastos com deslocamentos desnecessários ou chamadas improcedentes. Cada um ganhou um celular da Quantum. E em terceiro lugar ficou a equipe Neo Energy Efficient, que ganhou brindes.

A maratona exigiu muito esforço e concentração (Foto: Raquel Tannuri Santana).å
A maratona exigiu muito esforço e concentração (Foto: Raquel Tannuri Santana).å

Todos os participantes que apresentaram seus projetos também foram contemplados com uma inscrição para o SENDI 2016 e um ingresso para jantar e show com a banda Titãs, no dia 9 de novembro, em Curitiba.

O Hackathon SENDI 2016 marcou o início das atividades do maior evento de distribuição de energia elétrica da América Latina – o SENDI 2016, que reúne representantes das maiores distribuidoras de energia públicas e privadas, do Brasil e exterior, para a apresentação de novas tecnologias, relacionamento de negócios, debate sobre novas tendências e integração entre os profissionais e termina no próximo dia 10.

SENDI 2016

Considerado o maior evento do segmento na América Latina, o SENDI 2016 é palco da apresentação de novas tecnologias, relacionamento de negócios, debate sobre novas tendências e integração de lideranças nacionais e internacionais. Composto por painéis com debates e apresentação de trabalhos técnicos, o encontro promovido pela Abradee e coordenado pela Copel centraliza a programação em quatro eixos: inovação, ética, gestão regulatória e clientes. O debate passa também pela diversificação de fontes de geração de energia frente à crescente demanda nacional por energia, por meio de fontes alternativas e renováveis, como a geração eólica. Nesta edição, 776 trabalhos técnicos também foram inscritos, dos quais 200 foram selecionados para serem apresentados em sessões técnicas e 80 em formato de pôster.