O empresário de jogos eletrônicos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi intimado pelo Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce) para prestar depoimento em Curitiba amanhã, às 15h30. Cachoeira, que ganhou notoriedade depois que denunciou o assessor especial da Chefia da Casa Civil do Palácio do Planalto, Waldomiro Diniz, por corrupção, é acusado pela polícia do Paraná de envolvimento em irregularidades na licitação que escolheu a empresa Larami para controlar o serviço de loteria on-line do Paraná em 2001.

Em abril deste ano, o governo do Paraná rescindiu o contrato com a Larami, através de um decreto, com base nessas suspeitas de irregularidades. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso. Um dos indícios de irregularidades seria a inclusão de novos sócios (um deles Carlinhos Cachoeira) com o aumento abrupto do valor de capital da empresa dias antes da Larami concorrer à licitação contra outras 26 empresas inscritas (leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná).