Brasília – Após prestar depoimento aos integrantes da comissão de sindicância criada na Câmara dos Deputados, o empresário Sebastião Augusto Buani negou que tenha pago propina ao presidente da Casa, Severino Cavalcanti (PP-PE), para continuar explorando o restaurante da Casa. "Eu não tenho dinheiro para pagar nem minhas contas, quanto mais para pagar propina. Eu não paguei propina a ninguém", disse Buani.

O empresário também negou ter feito a denúncia à imprensa sobre o pagamento de propina: "Até agora não fiz nenhuma denúncia. Eu li as denúncias". Na entrevista após o depoimento, interrogado se as denúncias publicadas em revistas semanais seriam "um engano", Buani demonstrou irritação e acrescentou: "Eu não tenho nada a declarar. Eu vou dar meu depoimento completo à Polícia Federal".

Segundo Buani, as denúncias foram feitas por um ex-funcionário seu, de nome Zeilton Carvalho. Por conta própria, informou, ele se demitiu da empresa que explora o restaurante do décimo andar da Câmara. Na avaliação do empresário, o funcionário teria feito as denúncias em troca de vantagens financeiras.

Sobre as denúncias de que teria tentado extorquir o presidente da Câmara, Buani disse que o deputado "vai ter que provar, porque em nenhum momento eu fiz isso".

O advogado do empresário, Sebastião Coelho da Silva, reafirmou que não houve qualquer tipo de extorsão com relação ao contrato de Buani com a Câmara, no valor de mais de R$ 11,5 mil mensais. E garantiu que ‘não foi feito e também não está sendo feito" nenhum acordo entre o empresário e o presidente da Câmara.