A inquietude do menino que não entendia por que um barco de proporções gigantescas não afunda foi determinante para a construção do homem que, em meio às obrigações da vida prática, dedicou horas a fio para se aprofundar sobre a história da arquitetura naval. Tanto interesse levou o empresário e artista Franklin Delano Hojda, 66 anos, a desenvolver diversas atividades relacionadas à vontade de estar em contato com embarcações.

Leia a matéria completa.