Os presidentes da Xerox e da Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST), ouvidos pela Agência Estado sobre o nervosismo atual do mercado financeiro, não vêem motivo para tanta especulação. Eles argumentam que os fundamentos da economia até não são perfeitos, mas concordam que não há nada de concreto para a reação exagerada do mercado, que poderia ter sido evitada se o País já tivesse concluído o processo de reformas estruturais, como a tributária.