ecoterra.jpgAs empresas deste novo milênio têm um novo desafio pela frente: atender um mercado consumidor que exige responsabilidades sociais e ambientais. O aumento da degradação do meio ambiente e a visível criação de políticas públicas para preservar áreas de rica biodiversidade estão mudando o comportamento das grandes organizações. É preciso estar dentro da lei ambiental, reduzir a geração de resíduos, efluentes líquidos, emissões de gases prejudiciais à atmosfera e até os níveis de ruídos das máquinas utilizadas.

A primeira iniciativa deste processo é criar um programa de meio ambiente ou um sistema de gestão ambiental na empresa. Algumas organizações já estão à frente neste novo cenário como a Cimento Itambé, empresa de cimento que fica na região metropolitana de Curitiba.

O trabalho do grupo ultrapassou a produção de cimento e adquiriu proporções sócio-ambientais. É o caso da criação do Programa de Meio Ambiente. O objetivo é compatibilizar o uso de recursos e a conservação da natureza no entorno da fábrica e também na comunidade. Um dos subprogramas criados é o de "Recuperação de Áreas Degradadas", que pretende recuperar as áreas alteradas no entorno da Itambé.

Nas áreas identificadas foram analisados diversos fatores de degradação como o grau de alteração, as condições do solo, drenagem e recomposição vegetal natural. Em seguida, a empresa começou a recuperação ambiental, incluindo as correções físicas e de revegetação necessária. A prioridade do programa é o plantio de espécies nativas da região, tais como: aroeira, caroba, araçá, ipês, bracatinga, angico, pitanga, guabiroba, cereja, entre outras.

Entre os projetos da empresa também estão o de reciclagem e redução da geração do lixo além de projetos de educação ambiental através de peças teatros e trilhas ecológicas. No final de 2003, como resultado dos projetos sócio-ambientais conquistou o certificado ambiental ISO 14001.

www.ecoterrabrasil.com.br