O presidente Luiz Inácio Lula da Silva
e o ministro da Fazenda,Antonio Palocci.

A partir de amanhã, os trabalhadores brasileiros das empresas privadas poderão buscar empréstimos com juros bem mais baixos que os oferecidos atualmente por bancos e financeiras. A nova modalidade de crédito que permitirá esse avanço foi regulamentada hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em solenidade no Palácio do Planalto, e prevê que o pagamento desses empréstimos será feito com o desconto direto na folha de pagamento.

Ou seja, o trabalhador já vai receber seu salário com o valor da parcela de empréstimo devida ao banco já descontada. Dessa forma, como o risco de calote torna-se praticamente nulo, os bancos prometem oferecer nessa linha de financiamento juros bem abaixo do mercado.

A expectativa da CUT, por exemplo, é de que as taxas fiquem entre 2% e 3% ao mês, muito abaixo dos juros de até 15% cobrados atualmente pelas financeiras e bancos. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)