Nos dias 16 e 17 de outubro de 2002, a União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), União Paranaense dos Estudantes (UPE), União Paranaense dos Estudandes de 1º e 2º Graus (UPES), DCE´s, CA´s e Grêmios Estudantis realizarão uma consulta junto aos estudantes paranaenses, para definirem apoio oficial a um único candidato a Presidente da República e Governador do Estado.

A consulta acontecerá em Curitiba nas seguintes instituições de ensino: UFPR, PUC, TUIUTI, Espirita, CEFET e 12 colégios, incluindo o Colégio Estadual Pedro Macedo e o Colégio Estadual Leôncio Correia. Participarão, ainda, universidades e escolas de cidades do interior, como Maringá, Londrina, Cascavel e Foz.

Os estudantes das instituições de ensino contarão com urnas espalhadas pelos principais pontos de circulação e em salas de aula.

A postura das entidades no primeiro turno, foi a de apresentar uma carta programa elaborada nos fóruns, com ampla participação dos estudantes, para todos os candidatos, sem declarar apoio a nenhum dos concorrentes. No entanto, o estudante de história da UTP e presidente da UPE, Madson de Oliveira, explica os motivos que levaram as entidades a promoverem tal evento: “Mantivemos uma postura independente no primeiro turno, mas torna-se impossível mantermos a imparcialidade com o aprofundamento do debate, fruto do segundo turno. Acreditamos que a consulta é a forma mais direta do estudante opinar sobre qual candidato sua entidade deve apoiar nestas eleições, nós estudantes já percebemos que a escolha do presidente e do governador é a definição do rumo das nossas vidas.”

Para o estudante e diretor da UPES, Paulo Klauss, “o espirito de mudança e participação é crescente no meio estudantil, prova é a grande presença e participação de jovens no primeiro turno. Mesmo o jovem que não vota quer dar sua opinião e ajudar a família a definir o voto”, explica o líder estudantil.

A apuração dos votos ocorrerá na sexta-feira (dia 17) a partir das 21:00 horas. Segundo o Diretor da UNE, Geraldo Vilar, a expectativa é que mais de 200.000 estudantes participem em todo o país. “Essa amostragem nos dará prova suficiente de que as entidades estarão apoiando os candidatos à Presidente e Governador da preferência da maioria dos estudantes”, explica o estudante de Direito da PUC-SP.