Trabalhadores conseguiram recolher corpos e pedaços de corpos encontrados perto dos destroços do Boeing 737-800 da Kenya Airways, que caiu em um mangue no sábado em Camarões. As equipes levaram os restos mortais para ambulâncias que se aproximaram do local da queda o máximo que puderam, a cerca de 20 minutos de distância do mangue. Árvores foram arrancadas para facilitar o acesso dos trabalhadores.

Integrantes da equipe de resgate – soldados e pescadores de um vilarejo próximo – usaram galhos de árvores para abrir caminho. Muitos dos destroços, alguns dos quais pendurados em árvores, estavam irreconhecíveis. Mas alguns pequenos objetos estavam intactos, como um tênis de cor branca, uma bolsa preta, uma peça de roupa laranja e azul.

Nenhuma das 114 pessoas que estavam a bordo do Boeing 737-800 da Kenya Airways sobreviveu ao desastre, informou hoje um funcionário do governo da República dos Camarões, que vistoriou a cratera, já coberta de água, que o impacto da queda do avião abriu. Questionado sobre se alguém havia sobrevivido ao desastre Luc Ndjodo, um oficial do governo encarregado de comandar o trabalho de resgate, disse: "Não".