O atual e o futuro governo do Estado estão tentando entrar num acordo sobre o orçamento de 2003. Um primeiro passo foi dado hoje quando a liderança do PMDB na Assembléia Legislativa e a liderança do governo concordaram que a margem de remanejamento orçamentária para o próximo ano deve ser um meio termo entre 2002 e os anteriores.

O próximo governo não terá a mesma autonomia dada ao governador Jaime Lerner (PFL) em 2002, mas será maior do que em 1999, 2000 e 2001. Para melhorar o diálogo entre o governo e equipe de transição, o líder do PMDB assumiu a vice-relatoria do orçamento. O relator é o atual líder do governo, deputado Durval Amaral (PFL).

Da conciliação dos interesses dos dois grupos depende o encerramento do período legislativo, no final desta semana. Amaral pretende apresentar amanhã seu substitutivo à proposta original do governo. O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Hermas Brandão (PSDB), avisou que seu cronograma de sessões está mantido. Ele pretende realizar, amanhã, quantas sessões extraordinárias forem necessárias para dar conta da pauta e concluir o período legislativo até amanhã.