Escutas telefônicas realizadas pela Operação Hurricane (furacão, em inglês) colocam em dúvida o título da campeã do carnaval do Rio deste ano, a Beija-Flor de Nilópolis. Durante entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, o delegado federal Emanuel Henrique Oliveira, que faz parte da operação, afirmou que há fortes indícios de que o dinheiro da contravenção tenha comprado o resultado do carnaval carioca. Nos últimos cinco anos a escola ganhou quatro vezes.

Segundo o delegado, o título do carnaval deste ano pode ter sido comprado por Anísio Abraão David, patrono da Beija-Flor preso durante a operação da Polícia Federal. ?Há fortes indícios de que esse resultado tenha sido manipulado pelo senhor Anísio?, afirmou Oliveira.

Durante o programa, a Rede Globo exibiu imagens exclusivas divulgadas pela Polícia Federal que mostram o escritório de Júlio Guimarães, sobrinho do presidente da Liga das Escolas de Samba do Rio, Aílton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães, onde os agentes encontraram malotes de dinheiro, cerca de R$ 10 milhões, em uma parede com fundo falso. Para chegar à quantia, os agentes da PF quebraram a marretadas a parede que desconfiaram ser falsa. O capitão Guimarães é um dos detidos na Hurricane.