As forças tradicionais de esquerda na França, lideradas pelo Partido Socialista, obtiveram neste domingo uma ampla vitória no primeiro turno das eleições regionais francesas, mas vão ter que confirmar o resultado no segundo turno do próximo domingo.

Os 42 milhões de eleitores franceses foram convocados, na metade do mandato presidencial de Jacques Chirac, para eleger seus representantes nos 26 conselhos regionais (22 na metrópole e 4 em ultramar), uma eleição intermediária a dois turnos, cuja decisão está hipotecada até a próxima semana, apesar da forte tendência favorável a aliança socialista, comunista e verde.

O PS obteve 40,5% dos votos contra 34,5% dos governistas da União da Maioria Presidencial (UMP) e da União da Democracia Francesa (UDF). A diferença, de apenas 6,5%, que constitui uma forte advertência ao governo liberal-conservador atual. A extrema direita liderada pela Frente Nacional de Jean Marie Le Pen progride obtendo 17,5% dos votos, somadas todas as tendências. Os votos brancos e nulos somaram 2,5%.

A extrema esquerda obteve um resultado inferior ao que esperava. Os dois partidos que se aliaram, Luta Operária e Liga Comunista Revolucionária, obtiveram apenas 5% dos votos, não podendo, ao contrário do que vai ocorrer com a extrema direita, manter suas listas no segundo turno do próximo domingo.