A contratação de adolescentes aprendizes por empresas de administração indireta, como Sanepar e Copel, deve começar em outubro. O governador Roberto Requião, na reunião da Operação Mãos Limpas, desta segunda-feira, cobrou agilidade no programa que possibilita a meninos e meninas infratores fazerem estágios remunerados pela “Ação de Inserção do Adolescente”.

A previsão é que 700 adolescentes que cometeram algum tipo de infração considerada de menor gravidade sejam beneficiados com o programa. Na primeira etapa, serão contratados 400 garotos e garotas pelas empresas de administração indireta e, posteriormente, outros 300, pela administração direta.

O governador ressaltou que os adolescentes infratores surgem como um dos efeitos do exôdo rural. “Os pais saíram do campo e não sabem os ofícios exigidos na cidade. Na primeira fase, a conduta da família se mantém, mas a próxima geração foge daquela socialização e está sujeita aos desvios da contravenção, porque não tem esperança alguma numa sociedade que não oferece perspectiva de trabalho inserida num modelo econômico que crescentemente marginaliza contingentes maiores da população”, disse Requião.