Sorocaba – Um estudo realizado pela organização não governamental SOS Estradas apurou que, em 216 acidentes de ônibus registrados entre janeiro de 2002 e março de 2004, pelo menos 99 ocorreram sem o envolvimento de outro veículo. Esses acidentes provocaram a morte de 337 pessoas, ferimentos em 1.964 e podem ter sido causados pelo cansaço ou sono dos motoristas, segundo o coordenador da ong, Rodolfo Alberto Rizzotto. Os outros 117 acidentes, em que houve o envolvimento de pelo menos mais um veículo, foram menos letais, causando a morte de 305 pessoas. Para ele, o acidente com os ônibus da empresa Andorinha que deixou 32 mortos, domingo, em Regente Feijó, oeste do Estado de São Paulo, pode ser incluído nessa estatística

"Quando o motorista cochila ao volante, ele não reage e sai da pista ou colide na velocidade em que estiver, aumentando a gravidade do acidente." Foi o que ocorreu no Ceará, no carnaval de 2004, em que 42 pessoas morreram afogadas depois que o ônibus saiu da pista e caiu num açude. "Ficou constatado na perícia que não houve falha mecânica, humana ou mal súbito. O laudo indicou que o motorista provavelmente dormiu ao volante.

Nesses casos, podem ser incluídos, segundo ele, acidentes com invasão de pista contrária e colisão traseira, inclusive em rodovias de pista dupla. Rizzoto diz que não pode afirmar que o cansaço foi a causa do acidente com os ônibus da Andorinha, mas acha que a hipótese deve ser investigada. Ele lembra que, de quatro acidentes ocorridos com ônibus da empresa em menos de dois últimos anos, três aconteceram de madrugada, quando o risco do sono ou cansaço é maior.

Em dezembro, a entidade lançou a campanha "Cansaço Mata" na qual pretende alertar os usuários de rodovias e autoridades, além de colaborar para que, nos acidentes, o cansaço seja investigado como causa. "Somente estudando os acidentes e analisando as estatísticas será possível identificar as causas e estabelecer políticas objetivas de redução." Atribuir os acidentes à fatalidade, segundo ele, é fechar os olhos para a realidade. "No Brasil ocorrem, todos ao anos, cerca de 17 mil acidentes com ônibus e microônibus, apenas em rodovias." No Estado de São Paulo, segundo ele, ocorreram 3.520 em 2004, crescimento de 19% em relação ao ano anterior, enquanto os acidentes com automóvel aumentaram cerca de 6%. "É preciso que o poder público estimule o uso de cintos e outras medidas de segurança nos ônibus e fiscalize as condições de trabalho dos motoristas."