Rio ? A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vem realizando há um ano um estudo que pretende qualificar as operadoras de saúde. Segundo informou à Agência Brasil o presidente em exercício da autarquia, José Leôncio Feitosa, a pesquisa está sendo feita a partir de quatro aspectos: o componente operacional da empresa; a qualidade da assistência médico-hospitalar; a saúde econômico-financeira; e a visão do consumidor sobre a companhia da qual ele contratou o plano.

A expectativa é que os primeiros resultados comecem a ser divulgados até meados deste ano. "Nós analisamos 56 indicadores desses quatro componentes e identificamos se a empresa é boa ou ruim, se está piorando ou melhorando", disse, acrescentando que o estudo será feito seqüencialmente.

Os cenários estão sendo construídos e a idéia é que haja a divulgação da qualificação do mercado a cada dois ou três meses. Na avaliação de Feitosa, o estudo vai permitir aos brasileiros escolherem seu plano de saúde com base em informações sobre a rede hospitalar, proximidade da residência, cumprimento de contratos, atendimento e saúde financeira, entre outros tópicos. "O usuário terá um leque de opções com dados concretos de que a empresa é boa", observou.

Ele ressaltou a necessidade de o estudo ser feito com cautela e seriedade, uma vez que o mercado de saúde suplementar engloba cerca de R$ 31 bilhões. "Uma ação descuidada da Agência poderia criar problemas irreparáveis nesse mercado. Por isso, a gente tem de ter muito cuidado e segurança quando for lançar um projeto dessa magnitude", ponderou.