O Brasil poderá receber tecnologia americana na área criminal e de tóxicos. A proposta foi apresentada hoje, ao ministro da Justiça, Miguel Reale Júnior, pelos diretores do Centro Nacional de Ciências e Tecnologia Forense da Universidade da Flórida. Esse Centro de Tecnologia Forense atua nos EUA na área de tóxicos e crimes, trabalhando com investigação, perícias, treinamento, pesquisa, banco de dados e informações, junto aos órgãos de segurança e justiça americano. A proposta é apoiar e aplicar esse trabalho no Brasil, em parceria com nossos órgãos de Segurança e Justiça.

Segundo Suzana Sargent, diretora de Programas Internacionais da universidade, o centro de referência trará tecnologia de ponta para o Brasil, além de auxiliar sistema policial brasileiro, principalmente na área técnica, com uso de laboratórios e equipamentos. Reale interessou-se pelo projeto e pediu que fosse encaminhado num prazo de um mês.

A princípio os americanos sugeriram a instalação do laboratório em São Paulo. Mas, Reale apóia a instalação do centro em Brasília, para que os trabalhos sejam integrados às ações da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Academia da Polícia Federal, que funcionam na capital federal.