O ex-chefe do Departamento de Contratação e Administração de Material da Empresa
Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), Maurício Marinho, autor da declaração
de que o presidente do PTB, Roberto Jefferson, seria o chefe de um esquema de
corrupção nos Correios, chegou há pouco à Polícia Federal para prestar
depoimento. Ele chegou acompanhado de três advogados. Este é o primeiro
depoimento de Marinho, depois das denúncias publicadas na revista "Veja", há uma
semana.

A polícia espera que ele informe a identidade das duas pessoas
que fizeram a gravação de suas declarações. A PF e o Ministério Público Federal
estudam a possibilidade de propor a Maurício Marinho um acordo legal, dentro do
programa de delação premiada, pelo qual ele poderá ter a pena aliviada se
colaborar com as investigações.

À tarde, Fernando Godoy, que foi assessor
de Antônio Osório Batista, ex-diretor de administração dos Correios, também
deverá depor na PF, em Brasília. Antônio Osório Batista, deve ser ouvido hoje
também, mas em Salvador,Bahia.