A Comissão de Sindicância da Câmara dos Deputados deve ouvir hoje (9) o ex-gerente do Restaurante Fiorella Iseílton Carvalho. O depoimento está previsto para as 10h. Iseilton é apontado como o autor das denúncias de que o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti, teria recebido propina do empresário Sebastião Augusto Buani, dono do restaurante.

O pagamento de uma mesada mensal de R$ 10 mil em 2003 a Severino seria para garantir a continuidade da exploração dos serviços e a prorrogação do contrato de concessão do restaurante, que funciona no 10º andar do anexo 4 da Câmara.

Ontem, Buani confirmou a história de Iseílton em entrevista coletiva à imprensa.