O advogado e ex-secretário do ministro Antonio Palocci, Rogério Buratti, está sendo preso neste momento na Delegacia Seccional de Ribeirão Preto, informaram promotores do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco).

Buratti teve a prisão temporária decretada por cinco dias, acusado de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e destruição de provas, pelo juiz da Vara de Execuções Criminais de Ribeirão Preto, Luiz Augusto Teotônio.

De acordo com o promotor do Gaerco, Sebastião Sérgio da Silveira as acusações contra Buratti constam de um novo inquérito, aberto na semana passada. O pedido de prisão foi feito ontem pela manhã após os telefones de Buratti terem sido grampeados.

Nas ligações, Buratti pedia ao corretor Claudinei Mauad que eliminasse provas sobre a aquisição de uma fazenda no município de Buritizeiro, em Goiás, e duas empresas de ônibus, uma em Rancharia e outra em Presidente Venceslau, ambas no Estado de São Paulo.

De acordo com o promotor, ontem foi feita a busca e apreensão de documentos na casa de Mauad e foram encontrados os documentos que comprovam as transações.

Buratti será encaminhado ao Central de Detenção Provisória de Ribeirão Preto. Depois dos cinco dias de prisão temporária, o prazo por renovado ou o pedido de prisão preventiva pode ser feito. Ainda de acordo com os promotores, Mauad foi preso no começo da tarde de hoje em São Joaquim da Barra e está sendo levado para Ribeirão Preto.