Ao deixar o cargo de secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul (12), Luis Mussi destacou que seu apoio ao governador Roberto Requião continua. Depois de conduzir a Secretaria por dois anos e quatro meses, Mussi disse que sua contribuição ao governo não terminou. ?Permanece o objetivo compartilhado com o governador por um Paraná com mais progresso, caminhando ao desenvolvimento?, disse.

Segundo o governador Roberto Requião, Mussi deixou a Secretaria para cuidar de negócios pessoais que reclamam o seu atendimento e sua presença firme. ?A prova do trabalho desenvolvido por ele está na geração de empregos e renda por todo o Paraná. Com muito brilhantismo, Virgílio Moreira Filho continuará o trabalho de Mussi?, declarou.

Para o vice-governador Orlando Pessuti, Mussi cumpriu à risca as propostas do governo. ?Ele estabeleceu uma política de interiorização industrial no Paraná, apoiou os Arranjos Produtivos Locais (APL´s) e conduziu com maestria a atração de novas indústrias e a geração de novos empregos no estado?, enumerou.

O presidente da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), Darci Piana, diz que sempre houve bom entendimento dos empresários com Mussi. ?Sempre atenção especial ao nosso setor, principalmente na questão de exportação. O comércio muitas vezes não entra nessa discussão, mas Mussi sempre demonstrou preocupação à nossa classe?.

Ações

Entre os programas destacados por Mussi durante sua gestão está a reimplantação do programa Bom Emprego, com o objetivo da criação de empregos e a descentralização regional. ?Já contemplamos até agora 68 empresas com benefícios concedidos acima de R$ 2,5 bilhões. Juntos, os investimentos estimados das novas empresas chegam a mais de R$ 2 bilhões?, ccalculou.

Atualmente, 76% das empresas do Paraná estão isentas ou pagam menos ICMS pelo regime fiscal implantado pelo governador Roberto Requião. ?Só de microempresas isentas do imposto são 112 mil ou 56% do conjunto das empresas legalmente constituídas no Estado?, reforça. A Secretaria também já acertou a construção de 112 barracões industriais em 66 municípios, gerando a criação de 5.900 empregos diretos.

No campo do comércio exterior, as exportações do Paraná fecharam o primeiro trimestre de 2005 com vendas acima de US$ 2 bilhões. O resultado foi 9,39% maior que no mesmo período do ano passado. ?Atualmente, o Mercosul ocupa cerca de 10% das exportações paranaenses?, relatou.

?As exportações do Estado para os países do Mercosul alcançaram US$ 175 milhões no trimestre de 2005, alta de 7% sobre o mesmo período de 2004, quando as vendas totalizaram US$ 163 milhões. Isto é fruto também do trabalho governamental, principalmente das missões comerciais?, concluiu.