O Comando do Exército informou, por meio de nota, que tinha conhecimento das denúncias envolvendo militares na quadrilha especializada em fraudar licitações de alimentos, que foi desmobilizada hoje, em ação conjunta entre a Receita Federal, Polícia Federal e Ministério Público. O Exército Brasileiro, segundo a nota, "acompanhou e apoiou de maneira irrestrita e na forma da lei as investigações, sem prejudicar o sigilo das operações da PF". A nota acrescenta que o Exército "como sempre o fez", "busca com rigor a apuração de qualquer desvio de conduta de seus integrantes" para punir os responsáveis, caso comprovada a culpa.

Na ação conjunta, hoje, da Polícia Federal e Receita foram presas 28 pessoas, sendo uma no Distrito Federal, uma no Rio e Janeiro, uma no Ceará, uma em São Paulo e uma no Rio Grande do Norte. Outras 23 pessoas foram detidas no Amazonas.