As exportações do Paraná aos países do Mercosul subiram 33% no período de janeiro a novembro de 2006 em relação ao mesmo período do ano passado. É o que revelam dados da Secretaria Nacional de Comércio Exterior (Secex) divulgados nesta segunda-feira (8) pela Secretaria Estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul. As exportações paranaenses ao bloco – formado pela Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela – chegaram no período a US$ 1,130 bilhão.

Na análise do governo do Paraná, o resultado superou as expectativas. ?O Paraná é o único Estado brasileiro que tem uma política pública de integração com o Mercosul?, afirma o secretário estadual da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Jacir Bergmann II. ?É uma ação de união de esforços que tem garantido uma relação cada vez mais efetiva de intercâmbio de produtos, projetos e serviços?.

O secretário lembra ainda que os países do Mercosul concentram uma população estimada em 220 milhões de habitantes e um PIB (Produto Interno Bruto) de aproximadamente US$ 1,3 trilhão. ?A participação do Mercosul nas exportações paranaenses já ultrapassa 12%?, aponta. Em 2007, revela, as políticas públicas do Paraná para o comércio exterior devem ganhar força em 2007. ?Novas missões estão sendo planejadas e o Mercosul será prioridade?, informa Bergmann II.

Um dos melhores resultados das exportações do Paraná ao Mercosul nos 11 primeiros meses de 2006 veio do Uruguai, onde as exportações do Estado subiram 91% no comparativo com o mesmo período de 2005. ?No caso da Argentina, que já ocupa 9% de participação no destino das vendas do Estado e a segunda colocação entre todos os países compradores, nossa alta foi de 29%?, disse o secretário. Com a Venezuela e com o Paraguai, a elevação foi de 28%.

Entre as ações do governo do Paraná para ampliar os negócios com o Mercosul, Bergmenna II destaca as missões comerciais e as rodadas de negócios organizadas com empresários paranaenses. Entre 2003 e 2006, o Paraná participou de 32 missões governamentais e empresariais, sendo 18 específicas aos países do bloco. Mais de 500 empresários paranaenses, desde 2003, têm fechado negócios ao participar de missões, a maioria delas, 95%, empresas de pequeno porte.