Depois de amargar horas em filas, dormir no chão e sofrer com atrasos nos vôos, muitos passageiros estão enfrentando peregrinações para encontrar suas bagagens nos aeroportos do País. Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), no Aeroporto dos Guararapes, Recife, o índice de extravios cresceu 40% nos últimos cinco dias. Ontem, pelo menos 40 pessoas prestaram queixa no balcão da empresa. No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, há casos de passageiros que procuram pertences há 15 dias.

No Aeroporto de Brasília, um funcionário da TAM admitiu, sem mencionar números, que a quantidade de malas extraviadas neste Natal está "acima do normal". Uma das vítimas foi o fotógrafo americano Jeremy Smith, que desembarcou ontem para passar 40 dias com a namorada brasileira, a designer de jóias Karla Kratka. Smith pegou um vôo da TAM de Miami para São Paulo no domingo e fez conexão para Brasília. Chegou pela manhã, sem bagagem. "Toda a minha roupa está na mala. Só tenho a que estou vestindo. Pelo menos a máquina fotográfica ficou comigo."

No Aeroporto Tom Jobim, no Rio, o funcionário público Felipe José de Carvalho Corrêa, de 31 anos, achou em pleno saguão duas das quatro malas de sua família que tinham se extraviado. "Ontem (anteontem) achei duas, agora consegui encontrar as que restavam.

Vindo de São Luís (MA) para São Paulo, o engenheiro Alexandre Figueira Alves, de 35, ficou três dias sem a bagagem. "Gastei R$ 200 em roupas para passar estes dias na cidade." Ele só conseguiu recuperar a mala ontem, em Cumbica, pouco antes de embarcar de volta para São Luís. Nela estavam todos os presentes comprados para dar no Natal a parentes.

A comerciante Alessandra Pontes, de 34, tenta há duas semanas recuperar uma caixa com 14 perucas, avaliada em R$ 2.500, extraviada quando desembarcou em Cumbica. Ela terá de esperar mais 15 dias para entrar com pedido de indenização.

Às 18h30, o setor responsável pelas bagagens extraviadas da TAM em Guarulhos começou a despachar malas para endereços de passageiros de São Paulo. Os funcionários carregavam as bagagens em carros para entrega em casas ou hotéis. A empresa informou que colocará seu serviço de entrega expressa para garantir o envio de todas as malas.

A TAM divulgou nota na qual informa que, "quanto às malas extraviadas, equipes continuam agilizando o processo de entrega de bagagens, que está se regularizando ao longo do dia" (de ontem).